6 principais consequências de segurar o cocô


Ir ao banheiro para fazer cocô deveria ser uma atividade habitual e que não causasse sofrimento, porém não é assim para todas as pessoas. Muitas pessoas se sentem pouco confortáveis quando estão em um ambiente diferente, como restaurante, hotéis ou até mesmo ambiente de trabalho, o que faz com que segurem as fezes até que estejam em um ambiente em que se sentem confortáveis.

No entanto, o ato de segurar o cocô faz com que ele seja deslocado para o segmento mais acima do reto, chamado de cólon sigmoide, em que pode ocorrer a absorção da água contida nas fezes, deixando-as endurecidas e ressecadas. Assim, quando a pessoa sente novamente necessidade de evacuar, as fezes estão mais duras, o que pode resultar em maior esforço e aparecimento de fissuras ou hemorroidas, por exemplo.

Saiba por que não se deve segurar as fezes

As principais consequências de segurar o cocô são:

1. Fissuras anais

As fissuras anais surgem normalmente quando as fezes estão bastante endurecidas e ressecadas, o que provoca lesões no ânus no momento da evacuação, podendo resultar em sangue vermelho vivo nas fezes, dor e desconforto ao defecar. Veja como identificar e tratar as fissuras anais.

O que fazer: O tratamento para as fissuras anais é feito com o objetivo de evitar infecções, sendo necessário realizar a higiene íntima adequada, de preferência com papel higiênico umedecido em água. Além disso, é importante melhorar os hábitos alimentares, manter-se sempre hidratado e evitar segurar o cocô para que não ocorram novas fissuras. 

2. Hemorroidas

As hemorroidas surgem devido ao ressecamento das fezes e ao esforço realizado para evacuar, sendo comum em pessoas que sofrem com constipação intestinal e que não consegue fazer cocô em outros lugares que não a sua casa, segurando as fezes.

As hemorroidas correspondem a veias dilatadas e salientes que surgem na região anal e que podem provocar coceira e dor anal, além da presença de sangue nas fezes. Saiba o que são hemorroidas e principais sintomas.

O que fazer: O tratamento para hemorroidas pode ser feito com o uso pomadas que diminuem a dilatação das veias e aliviam a dor, como por exemplo Hemovirtus, Proctosan e Proctyl, por exemplo. No entanto, quando a hemorroida não é solucionada com o tempo ou com o uso de pomadas, pode ser recomendado pelo médico a realização de cirurgia.

3. Hernias abdominais

As hérnias abdominais podem surgir quando se faz muito esforço para evacuar, podendo ocorrer com mais facilidade em pessoas que têm prisão de ventre ou que costumam segurar o cocô.

A hérnia abdominal é caracterizada pela saída de uma parte do intestino, que pode causar alguns sintomas, como por exemplo, dor, inchaço e vermelhidão no local da hérnia.

O que fazer: No caso de hérnia abdominal, o mais indicado é ir ao médico para que seja feita a remoção da hérnia por meio de um procedimento cirúrgico. Além disso, é importante melhorar os hábitos alimentares e de vida para evitar que a hérnia abdominal volta a surgir. Entenda como é feita a cirurgia para hérnia abdominal.

Saiba por que não se deve segurar as fezes

4. Diverticulite

A diverticulite é a inflamação aguda dos divertículos, que são pequenas estruturas que surgem nas paredes do intestino devido, principalmente, à prisão de ventre. Quando essas estruturas inflamam, pode resultar em dor no abdômen, náuseas, vômitos e febre, por exemplo. Saiba mais sobre a diverticulite.

O que fazer: É indicado ir ao gastroenterologista logo que surgirem os primeiros sintomas, para que sejam feitos exames de diagnóstico e o tratamento possa ser iniciado, evitando complicações como perfuração do intestino e infecções, por exemplo.

5. Diminuição do fluxo sanguíneo para o cérebro

O esforço para eliminar as fezes também pode reduzir momentaneamente o fluxo de sangue para o cérebro, o que pode fazer com que a pessoa sinta dor de cabeça ou tonturas, por exemplo. Além disso, caso a pessoa tenha aneurismas cerebrais, o esforço excessivo ou frequente pode favorecer o rompimento desse aneurisma, resultando em uma hemorragia cerebral cuja intensidade varia de acordo com o tamanho do aneurisma. Veja quais são os sintomas de aneurisma e cerebral e principais causas.

O que fazer: Caso seja percebido que ao fazer esforço para evacuar há sensação de tontura, por exemplo, é importante consultar um neurologista para que seja investigada a presença de possíveis aneurismas. Além disso, é importante adotar uma dieta balanceada e adequada para que as fezes não fiquem endurecidas e não seja necessário realizar esforço, além de praticar atividades físicas regulares e adotar o hábito de ir ao banheiro independente de onde esteja.

6. Incontinência fecal

Quando se faz muita força constantemente para fazer cocô, os músculos do reto e do ânus começam a perder a força e a atrofiar, o que faz com que a pessoa não consiga controlar a eliminação do material fecal, liberando involuntariamente gases e fezes sólidas e líquidas. Assim, a incontinência fecal pode causar constrangimento e ansiedade, interferindo na qualidade de vida da pessoa. Entenda o que é a incontinência fecal e como identificar.

O que fazer: O mais recomendado no caso de incontinência fecal é consultar o coloproctologista para que seja avaliado o problema e iniciar o melhor tratamento, sendo normalmente indicada fisioterapia e exercícios para fortalecer os músculos da pelve, aliviando os sintomas da incontinência. Além disso, é recomendado que a pessoa siga uma dieta rica em fibras e pobre em alimentos que aumentam os movimentos intestinais, como o café, por exemplo. Saiba como é feita a dieta para incontinência fecal.

Saiba como fazer cocô corretamente e evitar as consequências:

Imagem ilustrativa do vídeo: Como fazer COCÔ do JEITO CERTO

Deixe uma resposta

Nome *
Email *
Site