6 sinais de distúrbios hormonais


Os problemas hormonais e desequilíbrio hormonais são muito comuns e podem provocar vários sintomas como excesso de fome, irritabilidade, cansaço excessivo ou insônia.

Embora este tipo de problemas seja mais comum nas mulheres, devido a fases normais da vida como menopausa, menstruação ou gravidez, eles também podem afetar os homens, especialmente após os 50 anos devido à andropausa.

6 sinais de distúrbios hormonais

Além disso, os níveis hormonais podem ainda variar devido aos padrões de sono, excesso de estresse ou dieta desequilibrada, sendo importante estar atento a alguns sinais.

1. Dificuldade para pegar no sono

A dificuldade para pegar no sono é mais comum em mulheres devido à diminuição da concentração do hormônio feminino progesterona. Uma das propriedades naturais desse hormônio é ajudar o organismo a relaxar, facilitando que a pessoa pegue no sono durante a noite.

Assim, quando existe um desequilíbrio hormonal que afete esse hormônio, a mulher pode ter mais dificuldade para dormir e pode até sentir-se mais agitada e ansiosa durante o dia.

O que fazer: É recomendado que a pessoa busque orientação do endocrinologista ou do ginecologista para que seja solicitado um exame de sangue para verificar os níveis de progesterona no sangue e, assim, iniciar o tratamento adequado. Normalmente, quando a concentração de progesterona está baixa, é recomendado que seja feita a reposição hormonal, que pode ser feita com medicamentos que contém progesterona em sua forma natural.

2. Excesso de fome

Os hormônios controlam muitas funções do organismo, sendo que uma delas é a sensação de fome. Por isso, quando alguns hormônios, como a grelina, estão mais altos que outros, como a oxintomodulina e a leptina, por exemplo, é possível sentir mais fome, mesmo depois de já ter almoçado ou jantado.

O que fazer: É importante ir ao endocrinologista para que sejam verificados quais os níveis dos hormônios reguladores do apetite e, assim, traçar estratégias para que haja a regulação desses níveis hormonais. Assim, é recomendado consultar um nutricionista, para que seja possível seguir uma dieta saudável e que ajude a regular os níveis hormonais, além da realização de atividades físicas.

3. Má digestão e outros problemas digestivos

Embora não seja um sinal direto de alterações hormonais, os problemas digestivos, como excesso de gases e má digestão, podem indicar que se está comendo mais que o normal ou ingerindo muitos produtos industriais. E isso, normalmente acontece quando existe um desequilíbrio dos hormônios da fome ou da progesterona e da testosterona, por exemplo.

Além disso, em caso de hipotireoidismo, também pode acontecer digestão mais lenta e sensação de estômago cheio por mais tempo, pois a diminuição dos hormônios da tireoide reduzem a velocidade do funcionamento de todo o corpo. 

O que fazer: Nesses casos, é necessário ir ao endocrinologista, para que sejam solicitados exames que possam identificar a causa de má digestão. Quando é causada por alteração na produção de hormônios tireoidianos, é recomendado pelo médico a realização de reposição hormonal, que é feito com o medicamento Levotiroxina, que contém o hormônio T4, que deve ser consumido conforme a orientação do médico.

É necessário, também, consultar o nutricionista para verificar quais alimentos são mais indicados e que aliviam os sintomas da má digestão e que possam ajudar a tratar a causa da alteração hormonal.

6 sinais de distúrbios hormonais

4. Cansaço excessivo durante o dia

Os hormônios da tireoide controlam o metabolismo e, por isso, se existir uma redução na sua produção, o corpo começa a funcionar mais lentamente, diminuindo o ritmo cardíaco e até o funcionamento mental.

Assim, é possível ter-se menos energia e sentir mais cansaço durante o dia, além de dificuldade para pensar e se concentrar.

O que fazer: Quando há alteração na produção de hormônios tireoidianos, o endocrinologista indica a reposição hormonal com o hormônio T4 e realização de exames tireoidianos regulares. Além disso, é importante ter atenção à alimentação, evitar o estresse e praticar atividades físicas de forma regular.

5. Ansiedade, irritabilidade ou depressão

Este é um dos sinais mais evidentes de alterações hormonais bruscas, especialmente na menopausa, quando as situações que antigamente eram normais começam a provocar sintomas de tristeza, ansiedade ou irritabilidade excessiva.

O que fazer: Para diminuir a ansiedade, irritabilidade ou sintomas de depressão pode ser interessante fazer sessões de terapia, para que se possa falar sobre o dia a dia e situações que possam favorecer a ansiedade ou a irritabilidade, por exemplo. Além disso, é recomendada a realização de atividades físicas, pois promovem a sensação de bem-estar.

6. Excesso de espinhas ou acne

O aumento do hormônio testosterona é responsável por causar excesso de oleosidade da pele e, por isso, tanto homens como mulheres podem apresentar excesso de espinhas ou acne persistente devido à oleosidade da pele, especialmente quando a testosterona está muito mais alta que os outros hormônios do organismo.

O que fazer: Para eliminar o excesso de espinas que surgem devido ao aumento na concentração de testosterona e, consequentemente, aumento da oelosidade da pele, é recomendado fazer limpezas de pele, pelo menos 1 vez por semana, para diminuir a oleosidade da pele e, assim, evitar o surgimento das espinhas.

Além disso, é importante ter atenção à alimentação, pois alguns alimentos favorecem a produção de sebo pelas glândulas sebáceas, levando ao aparecimento das espinhas. Confira como tirar cravos e espinhas.

Deixe uma resposta

Nome *
Email *
Site