8 doenças relacionadas à Tireoide e como identificar


A tireoide é uma glândula localizada na parte anterior do pescoço, que tem um papel extremamente importante de ajudar a regular o metabolismo e equilíbrio do organismo, estando relacionada ao funcionamento do coração, cérebro, fígado e rins. Além disso, a tireoide também influencia o crescimento, o ciclo menstrual, fertilidade, peso e estado emocional.

Estes efeitos são possíveis pois a tireoide secreta os hormônios T3 e T4 na corrente sanguínea, sendo capazes de se espalhar por todo o corpo. A tireoide é controlada pela hipófise, uma outra glândula localizada no cérebro que, por sua vez, é controlada por uma região do cérebro chamada hipotálamo, por isso, alterações em qualquer dessas regiões pode provocar doenças e sintomas relacionados à tireoide, que incluem o hipotireoidismo, hipertireoidismo, tireoidites ou câncer de tireóide, por exemplo.  

Os exames que podem indicar alterações na tireoide são a dosagem de T3, T4 e TSH no sangue, além de outros como dosagem de anticorpos, ultrassonografia, cintilografia ou biópsia, que podem ser pedidos pelo endocrinologista quando para investigar melhor o motivo das alterações. Saiba mais sobre os exames que avaliam a tireoide.

Principais Doenças relacionadas à Tireoide

8 Doenças comuns da Tireoide

O mal funcionamento da tireoide pode acontecer devido a diversas doenças, e somente a avaliação do médico poderá diferenciá-las e confirmá-las, no entanto, citamos aqui algumas das mais comuns na população. Saiba como cada uma delas se manifesta e seus tratamentos.

1. Hipertireoidismo ou Hipotireoidismo

O hipo e o hipertireoidismo são doenças provocadas por alterações nos níveis de hormônios secretados pela tireoide, e podem ter causas congênitas, auto-imunes, inflamatórias ou secundárias a outras doenças ou efeitos colaterais de tratamentos, por exemplo. 

De uma forma geral, no hipertireoidismo há um aumento da produção de hormônios T3 e T4 e diminuição de TSH, enquanto que no hipotireoidismo há uma diminuição do T3 e T4 com elevação do TSH, entretanto, podem haver variações a depender da causa.

Sinais e sintomas de Hipertireoidismo Sinais e sintomas de Hipotireoidismo
Aumento da frequência cardíaca ou palpitações Cansaço, fraqueza e indisposição
Nervosismo, gitação, inquietação Lentidão física e mentalmente
Insônia ou dificuldades para dormir

Dificuldade de concentração e memória fraca

Emagrecimento Inchaço corporal, excesso de peso
Aumento da sensação de calor, pele avermelhada, face rosada Pele seca e áspera
Instabilidade emocional Prisão de ventre
Diarreia Intolerância ao frio
Pele quente e úmida Impotência sexual
Bócio Queda do cabelo
Tremor no copor sensação de frio

Para saber mais sobre os sintomas que indicam essas doenças, confira sintomas que indicam problemas na tireoide.

2. Tireoidite – Inflamação da tireoide

Tireoidite é a inflamação da tireoide, que pode acontecer por diversas causas que incluem infecções virais, como coxsackievirus, adenovírus e os vírus da caxumba e do sarampo, auto-imunidade, ou intoxicações por certos remédios, como amiodarona, por exemplo. 

A tireoidite pode se manifestar de forma aguda, subaguda ou crônica, e os sintomas variam desde quadros assintomáticos, até mais intensos que provocam dor na tireoide, dificuldade para engolir, febre ou calafrios, por exemplo, a depender da causa.

3. Tireoidite de Hashimoto

A tireoidite de Hashimoto é uma forma de tireoidite auto-imune crônica, que causa inflamação, lesão nas células e, em seguida, prejuízos à função da tireoide, que poderá não secretar hormônios suficientes à circulação sanguínea.

Nesta doença a tireoide costuma aumentar de tamanho, provocando o bócio, e podem estar presentes os sintomas de hipotireoidismo ou alternar entre períodos de hiper e hipoteoidismo. É uma doença auto-imune que gera anticorpos como anti-tireoperoxidase (anti-TPO), anti-tireoglobulina (anti-Tg), anti-receptor de TSH (anti-TSHr). Veja o tratamento clicando aqui.

4. Tireoidite Pós-parto

A tireoidite pós parto é uma das formas de tireoidite auto-imune, que afetam mulheres até 12 meses após o nascimento do bebê, sendo mais comum nas portadoras de diabetes tipo 1 ou outras doenças auto-imunes.

Durante a gravidez, a mulher fica exposta aos tecidos do bebê, e para prevenir a rejeição, o sistema imune passa por diversas alterações, podendo aumentar as chances do desenvolvimento de doenças auto-imunes. Esta alteração costuma se manifestar com sintomas de hipotireoidismo, mas nem sempre precisa de tratamento porque a função da tireoide pode voltar ao normal em 6 a 12 meses. 

5. Bócio

Bócio é o aumento do tamanho da tireoide. Pode ter diversas causas, que incluem a falta de iodo, inflamação da tireoide por doenças auto-imunes ou pela formação de nódulos na tireoide, e pode provocar sintomas como sensação de aperto na garganta, dificuldade para engolir, rouquidão, tosse e, nos casos mais graves, até dificuldade para respirar. 

Seu tratamento é variável de acordo com a causa, e pode consistir no uso de iodo, remédios para hiper ou hipotireoidismo ou, em casos de nódulos e cistos, até a realização de cirurgia da tireoide. Saiba mais sobre o que é bócio, como identificar e tratar.

6. Doença de Graves

A doença de Graves é uma forma de hipertireoidismo por causas auto-imunes, e, além dos sintomas de hipertireoidismo, pode apresentar o aumento da tireoide, olhos salientes (retração palpebral), formação de placas endurecidas e avermelhadas sob a pele (mixedema).

O tratamento é feito com o controle dos níveis dos hormônios tireoideanos, com medicamentos como Propiltiouracil ou Metimazol, por exemplo, ou com iodo radioativo. Veja mais detalhes sobre os sintomas e o tratamento desta doença aqui.

7. Nódulo na tireoide

Nem sempre a causa do aparecimento de um cisto ou nódulo na tireoide é descoberta. Existem diversos tipos de nódulos na tireoide, e felizmente a maioria deles é benigno, podendo se apresentar através de um caroço na parte anterior do pescoço, que não causa dor, mas que pode ser visto quando a pessoa engole os alimentos, por exemplo.

Ele pode ser identificado através da palpação, e de exames como ultrassonografia, tomografia e cintilografia da tireoide, e por vezes o médico pode pedir uma biópsia para saber o seu tipo e se ele é benigno ou maligno. Geralmente, é feito apenas acompanhamento do nódulo, exceto quando a pessoa apresenta sintomas, quando existe risco de câncer na tireoide ou quando o nódulo muda a aparência ou cresce mais de 1 cm. Veja mais detalhes clicando aqui.

8. Câncer de tireoide

É o tumor maligno da tireoide, e quando é descoberto deve-se realizar exames, como a cintilografia de corpo inteiro, para saber se outras parte do corpo foram afetadas. O tratamento é feito com a retirada da tireoide através de uma cirurgia, e pode haver necessidade de outras terapias complementares como a toma do iodo radioativo, por exemplo. Nos casos de tumores mais graves e agressivos pode-se recorrer também a radioterapia. Veja 7 sintomas que podem indicar câncer de tireoide.

Deixe uma resposta

Nome *
Email *
Site