Alergia ao Frio – Como identificar e Conviver

0
16


Os sintomas da alergia ao frio podem surgir quando a pessoa fica exposta ao frio no outono ou inverno, mas também pode acontecer até mesmo no verão quando a pessoa entra numa cachoeira ou está na praia e o mar tem a água muito fria, como acontece no Rio de Janeiro e São Paulo.

Esse tipo de alergia também pode afetar pessoas que precisam trabalhar no frigorífico dos açougues, na sessão dos congelados do supermercado ou em laboratórios onde é preciso estar em baixas temperaturas, por exemplo. Geralmente os sintomas surgem poucos minutos depois da exposição ao frio ou de entrar em contato prolongado com a água fria. Entenda como o clima frio afeta a saúde.

Alergia ao Frio - Como identificar e Conviver

Sintomas de alergia ao frio

Os sintomas que podem indicar alergia ao frio, uma situação cientificamente chamada de perniose ou urticária do frio, podem ser: 

  • Placas avermelhadas ou amareladas nas áreas expostas ao frio;
  • A região afetada pode parecer sem sangue;
  • Dedos das mãos e dos pés inchados;
  • Sensação de dor e queimação;
  • Coceira na pele, principalmente nas extremidades do corpo;
  • Podem surgir feridas e descamação na pele inchada e vermelha;
  • Podem surgir vômito e dor abdominal.

As mulheres são as mais afetadas e as áreas mais afetadas são as mãos, os pés, o nariz e as orelhas. Uma doença semelhante é a Síndrome de Raynaud, que uma doença caracterizada pela alteração da circulação sanguínea das mãos e dos pés, mudando a coloração desses membros. Saiba mais sobre a Síndrome de Raynaud.

O diagnóstico da alergia ao frio é feito a partir da análise dos sintomas descritos pela pessoa, além de exames, como a biópsia, por exemplo, que tem como objetivo avaliar as lesões. Entenda o que é a biópsia e como é feita.

Alergia ao Frio - Como identificar e Conviver
Alergia ao Frio - Como identificar e Conviver

Tratamento para alergia ao frio

Quando a alergia ao frio é muito frequente e os sintomas permanecem por dias, trazendo incômodo à vida da pessoa, é recomendado buscar ajuda médica porque pode ser necessário realizar exames que possam indicar que existe alguma outra condição ao mesmo tempo. O médico mais indicado é o dermatologista que pode indicar o uso de remédios vasodilatadores.

Outras opções de tratamento para alergia ao frio são:

1. Aquecer o corpo

Assim que forem notados os primeiros sinais de alergia ao frio, é importante aquecer a região do corpo afetada o quanto antes para evitar a progressão dos sintomas. Caso a pessoa se encontre na praia, por exemplo, pode se enrolar em uma toalha ou canga e ficar ao sol por uns instantes até que a circulação sanguínea seja normalizada e a pele deixe de coçar e desinche.

No caso de pessoas que moram ou trabalham em ambientes frios, é importante proteger as extremidades do corpo através do uso de luvas e botas, por exemplo. Além disso, é indicado não fumar e evitar o consumo de bebidas alcoólica, pois podem piorar os sintomas da alergia.

2. Praticar exercícios regularmente

A prática de exercícios regulares é importante para estimular a circulação sanguínea e diminuir as chances de alergia. Além disso, a prática de exercícios ajuda a normalizar o fluxo sanguíneo e a temperatura do local acometido pela alergia.

3. Uso de medicamentos

O uso de medicamento anti-histamínicos pode ser feito com o objetivo de controlar as crises e evitar complicações, como o bloqueio das vias respiratórias e, consequentemente, asfixia, por exemplo. O uso desses medicamentos deve ser recomendado pelo médico e normalmente são consumidos em doses superiores às normais.

4. Uso de adrenalina

O uso de adrenalina é feito somente em casos mais graves, quando há chance de parada cardíaca e bloqueio completo da respiração, que pode acontecer quando a pessoa possui alergia, mas mesmo assim fica muito tempo dentro da água gelada do mar ou da cachoeira, por exemplo. Conheça os efeitos da adrenalina no organismo.

Como conviver com alergia ao frio

É importante evitar todos os fatores que possam levar a pessoa a sentir frio. Assim, deve ser importante garantir que o corpo permanece aquecido e seco, evitando viajar para lugares muito frios, como o inverno na Europa, evitar chupar picolé ou sorvete, tomar banhos sempre mornos, preferir sapatos fechados porque até mesmo o uso de um sapato aberto ou sandália pode levar ao desenvolvimento dos sintomas nos dedos dos pés, ao caminhar numa orla da praia, num dia mais frio, por exemplo.

A urticária ao frio não é permanente mas depois que os primeiros sintomas aparecem a pessoa deverá ter estes cuidados durante os próximos 10 anos.

Possíveis complicações

Alergia ao Frio - Como identificar e Conviver

Se a pessoa não seguir as recomendações e não realizar o tratamento, podem surgir complicações devido a falta de sangue em pequenas áreas do corpo como a necrose, que é caracterizada pela coloração enegrecida da região acometida e que dificilmente tem cura, sendo normalmente realizada a amputação.

Além disso, a falta de tratamento pode causar celulite, que é a inflamação de uma área do corpo, lesão de nervos, tromboflebite, parada cardíaca e bloqueio das vias respiratórias.

SHARE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here