Calcificação da Mama: o que é, causas e como é feito o diagnóstico


A calcificação da mama acontece quando pequenas partículas de cálcio depositam-se espontaneamente no tecido mamário devido ao envelhecimento ou câncer de mama, por exemplo. De acordo com as características, as calcificações podem ser classificadas em:

  • Calcificação benigna, que é caracterizada por grandes calcificações, devendo ser acompanhado por meio de mamografia a cada ano;
  • Calcificação provavelmente benigna, em que as macrocalcificações possuem aspecto amorfo, devendo ser acompanhado a cada 6 meses;
  • Calcificação suspeita de malignidade, em que podem ser observadas microcalcificações agrupadas, sendo indicada a realização de biópsia para verificar possíveis características neoplásicas;
  • Calcificação altamente suspeita de malignidade, que é caracterizada pela presença de microcalcificações de tamanhos variados e de alta densidade, sendo recomendado biópsia e, na maioria das vezes, remoção cirúrgica.

As microcalcificações normalmente não são palpáveis e pode ter relação com o câncer de mama, sendo importante a identificação por meio da mamografia. As macrocalcificações, por outro lado, são tipicamente benignas e possui forma irregular, podendo ser identificadas por meio de ultrassonografia ou mamografia.

As calcificações mamárias normalmente não geram sintomas, podendo ser identificadas nos exames de rotina. A partir da avaliação das características das calcificações, o médico pode estabelecer a melhor forma de tratamento, sendo normalmente indicado nas calcificações suspeitas de malignidade a remoção cirúrgica, uso de medicamentos ou radioterapia, por exemplo. Veja quais são os exames que detectam o câncer de mama.

Calcificação da Mama: o que é, causas e como é feito o diagnóstico

Possíveis causas

Uma das principais causas de calcificação na mama é o envelhecimento, em que as células da mama passam por um processo degenerativo e gradual. Além do envelhecimento, outras possíveis causas do aparecimento de calcificações na mama são:

  • Restos de leite materno;
  • Infecção na mama;
  • Ferimentos na mama;
  • Pontos ou implantação de silicone nas mamas;
  • Fibroadenoma.

Apesar de ser na maioria das vezes um processo benigno, o depósito de cálcio no tecido mamário pode ser um sinal do câncer de mama, devendo ser investigado e tratado pelo médico caso haja necessidade. Veja quais são os principais sintomas do câncer de mama.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico das calcificações mamárias normalmente é feito por meio de exames de rotina, como a mamografia e a ultrassonografia de mama, por exemplo. A partir da análise do tecido mamário, o médico pode optar por realizar a biópsia da mama, que é feito por meio da retirada de um pequeno fragmento do tecido da mama e enviado ao laboratório para análise, podendo ser identificadas células normais ou neoplásicas. Saiba o que é e para que serve a biópsia.

De acordo com o resultado da biópsia e dos exames solicitados pelo médico, é possível verificar a gravidade da calcificação e estabelecer o melhor tratamento, que normalmente é indicado para mulheres que apresentam calcificações suspeitas de malignidade, sendo recomendada a remoção cirúrgica das calcificações, uso de medicamentos ou realização de radioterapia.

Deixe uma resposta

Nome *
Email *
Site