Como é feita a cirurgia para gêmeos siameses e possíveis riscos

0
13


A cirurgia para a separação de gêmeos siameses nem sempre é indicada, devido ao risco elevado por causa do compartilhamento de órgãos. No entanto, quando realizada, pode ter duração de 20 a 36 horas e pode trazer complicações, como insuficiência cardíaca, hepática e até mesmo neuronal.

Além disso, devido ao compartilhamento de órgãos e dificuldade de separação, a chance de um dos gêmeos vir à óbito durante ou após o procedimento é alta. Por isso, é recomendado que a cirurgia seja realizada por uma equipe médica composta por várias especialidades com o objetivo de diminuir o máximo possível os riscos.

Os gêmeos siameses são gêmeos idênticos unidos por alguma parte do corpo, como tronco, costas e crânio, por exemplo, podendo ainda haver compartilhamento de órgãos, como coração, fígado, rins e intestinos. A detecção de gêmeos siameses pode ser feita, em alguns casos, durante exames de rotinas na gestação, como a ultrassonografia. Saiba tudo sobre os gêmeos siameses.

Cirurgia para Gêmeos Siameses

Como é feita a cirurgia

A cirurgia para separação dos gêmeos siameses pode levar horas e é um procedimento muito delicado, isso porque de acordo com o tipo de união dos gêmeos pode haver compartilhamento de órgãos, o que pode tornar o procedimento de alto risco, já que quando houver a separação, um dos gêmeos é provável à óbito.

O compartilhamento de órgãos é mais comum em gêmeos que são unidos pela cabeça e pelo tronco, no entanto quando há o compartilhamento de rins, fígado e intestinos, a separação pode ser um pouco mais fácil. O grande problema é que raramente os irmãos siameses partilham somente um órgão, o que pode dificultar ainda mais a sua separação. Além de partilharem órgãos e estarem fisicamente unidos, os irmãos gêmeos siameses são emocionalmente ligados e vivem uma vida em comum.

Para realizar a cirurgia é necessário que exista uma equipe médica constituída por várias especialidades para garantir o sucesso da operação. A presença de um cirurgião plástico, cirurgião cardiovascular e de um cirurgião pediátrico são essenciais em todas as cirurgias de separação de gêmeos siameses. A presença deles é importante para separar os órgãos e reconstruir tecidos e adaptar quando se é necessário.

A cirurgia para separar gêmeos siameses unidos pelo crânio ou que partilhavam tecido cerebral é rara, de longa duração e muito delicada, no entanto já foram realizadas algumas cirurgias que tiveram resultados positivos. As duas crianças conseguiram sobreviver, apesar de apresentarem algumas complicações durante o internamento e algumas sequelas.

Possíveis riscos

O maior risco da cirurgia para gêmeos siameses é a morte durante ou após o procedimento. Dependendo de como os gêmeos estiverem unidos, a cirurgia pode ser de alto risco, principalmente se houver o compartilhamento de vários órgão, como coração ou cérebro, por exemplo.

Além disso, o gêmeo, quando separado, pode ter algumas sequelas como por exemplo insuficiência cardíaca e alterações neuronais que podem resultar em alterações ou atraso no desenvolvimento.

No entanto, caso a cirurgia não seja possível ou caso seja decidido pelos familiares ou pelos próprios gêmeos que não sejam separados, podem permanecer unidos levando uma vida mais normal possível.

SHARE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here