Como é feito o diagnóstico da LLC e principais sintomas

0
14


A Leucemia Linfoide Crônica, também conhecida como LLC, é um tipo de leucemia caracterizada pelo aumento da quantidade de linfócitos maduros no sangue periférico. Saiba mais sobre a Leucemia Linfoide.

A LLC normalmente é diagnosticada em pessoa mais velhas, normalmente a partir dos 65 anos, isso porque a doença possui evolução progressiva, sendo os sintomas normalmente percebidos quando a doença já está em uma fase mais avançada. Por causa da demora do aparecimento dos sintomas, a doença é normalmente identificada durante exames de sangue de rotina, principalmente hemograma, em que pode ser identificada linfocitose.

A causa desse tipo de leucemia ainda não é bem estabelecida, mas acredita-se que acontece devido à exposição prolongada a agentes químicos. Além disso, história de LLC na família pode aumentar as chances da pessoa desenvolver a doença.

Linfócitos em um esfregaço sanguíneo

Linfócitos em um esfregaço sanguíneo

Sintomas de LLC

A LLC desenvolve-se ao longo de meses ou anos e, por isso, os sintomas surgem gradualmente, sendo a doença identificada quando a leucemia já se encontra em uma fase mais avançada. Os sintomas indicativos de LLC são:

  • Aumento dos linfonodos e gânglios linfáticos;
  • Fadiga;
  • Aumento do baço, também chamado de esplenomegalia;
  • Hepatomegalia, que é o aumento do fígado;
  • Infecções recorrentes de pele, urina e pulmões;
  • Perda de peso.

Como a doença não apresenta sintomas em sua fase inicial, a LLC pode ser identificada após a realização de exames de rotina, em que pode ser verificado no hemograma o aumento no número de linfócitos e leucócitos.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da Leucemia Linfóide Crônica é feito a partir da análise das células sanguíneas através do resultado do hemograma. Para realizar o hemograma é necessário a coleta de uma amostra de sangue que deve ser enviado para o laboratório para análise. Saiba para que serve e como interpretar o hemograma.

No hemograma da LLC é possível identificar leucocitose, geralmente acima de 25000 células/mm³ de sangue, e linfocitose persistente, normalmente acima de 5000 linfócitos/mm³ de sangue. Além disso, alguns pacientes apresentam anemia e plaquetopenia, que é a diminuição da quantidade de plaquetas no sangue. Veja quais são os valores de referência do leucograma.

Apesar de serem maduros, os linfócitos presentes no sangue periférico são pequenos e frágeis e, por isso, no momento da confecção do esfregaço podem romper e dar origem à sombras nucleares, também chamadas de sombras de Gumprecht, que pode ser também considerada como característica para fechar o diagnóstico.

Apesar do hemograma ser suficiente para concluir o diagnóstico de leucemia linfocítica crônica, é necessária a realização de testes de imunofenotipagem para identificar a presença de marcadores que permitem confirmar que se trata de uma leucemia relacionada à proliferação de linfócitos do tipo B e que é crônica. A imunofenotipagem é considerada o padrão ouro de identificação não só da LLC mas também dos outros tipos de leucemia. Confira o guia para leucemia.

O mielograma, que corresponde à análise das células da medula óssea, não é necessário para confirmar o diagnóstico da doença, no entanto pode ser solicitado para verificar a evolução, padrão de infiltração dos linfócitos e definir o prognóstico. Entenda como é feito o mielograma.

Tratamento da LLC

O tratamento da LLC é feito de acordo com o estágio da doença:

  • Baixo risco: em que são identificados apenas leucocitose e linfocitose, sem qualquer outro sintoma. Assim, o médico acompanha o paciente não sendo necessário realizar o tratamento;
  • Risco intermediário: em que é verificada linfocitose, aumento dos gânglios e hepato ou esplenomegalia, sendo necessário acompanhamento médico para verificar a evolução da doença e tratamento com quimio ou radioterapia;
  • Alto risco: em que são identificados os sintomas característicos da LLC além de anemia e plaquetopenia, devendo o tratamento ser iniciado imediatamente. O tratamento mais recomendado nesse caso é o transplante de medula óssea, sendo também necessário realizar quimio e radioterapia.

Assim que for identificado o aumento na quantidade de linfócitos no sangue periférico, é importante que o médico avalie o estado geral do paciente para que seja confirmado o diagnóstico de LLC e se possa iniciar o tratamento e evitar a progressão da doença.

SHARE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here