Herpangina: Como identificar e Tratar


A herpangina é uma doença causada pelo vírus Coxsackie, enterovírus ou vírus herpes simplex que afeta bebês e crianças entre os 3 e os 10 anos causando sintomas como febre repentina, aftas na boca e dor de garganta, além de pequenas feridinhas na boca da criança, como se fossem herpes. Os sintomas da herpangina podem durar até 12 dias e não há tratamento específico, sendo recomendado o alívio dos sintomas.

Essa doença normalmente é leve e dura poucos dias, mas em raros casos algumas crianças podem apresentar complicações como alterações no sistema nervoso e insuficiência cardíaca ou pulmonar, e por isso em caso de suspeita deve-se ir ao pediatra o quanto antes para que seja inciado um tratamento mais específico.

Herpangina: Como identificar e Tratar

Sintomas de Herpangina

A principal característica da herpangina é o aparecimento de bolhas na boca e na garganta da criança que quando estouram deixam manchas esbranquiçadas. Além disso, outros sintomas característicos da doença são:

  • Febre repentina, que geralmente dura 3 dias;
  • Dor de garganta;
  • Garganta vermelha e irritada;
  • Pequenas feridas brancas dentro da boca com um círculo avermelhado à volta. A criança pode apresentar de 2 à 12 pequenas aftas dentro da boca, que medem menos de 5mm cada uma;
  • As aftas geralmente encontram-se no céu da boca, língua, garganta, úvula e amígdalas, e podem permanecer na boca por 1 semana;
  • Podem surgir ínguas na região do pescoço.

Os sintomas podem aparecer entre 4 e 14 dias após o contato com o vírus e não é incomum a criança apresentar sintomas cerca de 1 semana depois de ter estado numa sala de espera com outras crianças doentes à espera de consulta ou em locais lotados com poucas condições de higiene, por exemplo.

O diagnóstico é feito através da observação dos sintomas mas o médico pode solicitar exames para confirmar a doença, como por exemplo o isolamento do vírus a partir de uma das feridas ou bolhas da garganta ou boca. No caso de epidemia de herpangina, porém, o médico pode optar por não solicitar exames mais específicos, sendo o diagnóstico baseado na semelhança dos sintomas apresentados por outras crianças no mesmo período.

Como acontece o contágio

O contágio pelo vírus responsável pela Herpangina pode acontecer quando a criança entra em contato com as secreções de uma pessoa infectada com a doença, seja através de um espirro ou tosse, por exemplo. Porém, o vírus também pode ser encontrado nas fezes e, assim, fraldas e roupas sujas também podem promover o contágio da doença.

Assim, como é uma doença de fácil transmissão os bebês e crianças que frequentam berçários e creches são as mais propensas devido ao contato que tem umas com as outras.

Herpangina: Como identificar e Tratar

Como é feito o tratamento

O tratamento para herpangina é feito por meio do alívio dos sintomas, não sendo necessário o uso de medicamentos antivirais específicos. Assim, o pediatra pode recomendar o tratamento em casa com o uso de medicamento antitérmico, como o Paracetamol, para aliviar a febre, e analgésicos tópicos, como a Lidocaína tópica, por exemplo, que deve ser aplicada na boca, diminuindo o desconforto causado pelas feridas.

Saiba também como aliviar a dor de garganta do bebê.

Como alimentar o bebê e a criança 

Devido à presença das feridas na boca, o ato de mastigar e engolir pode ser doloroso, dessa forma, é recomendado que a alimentação seja líquida, pastosa e com pouco sal, com o consumo de sucos não cítricos, sopas e purê, por exemplo. Gelatina, sorvete, geleia e iogurte natural são boas opções para manter o bebê alimentado e hidratado, especialmente porque os alimentos frios são mais facilmente aceites pela criança.

É indicado oferecer bastante água para manter a criança bem hidratada, para que ela possa se recuperar mais rápido. Além disso, também é recomendado muito repouso, evitando estimular demais a criança para que ela possa descansar e dormir de forma adequada. 

Sinais de melhora ou piora 

A febre deve baixar em 3 dias, caso isso não aconteça ou caso surjam outros sintomas como convulsões, por exemplo, deve-se voltar ao pediatra para uma nova avaliação. Embora seja raro, podem surgir complicações como a meningite, cujo tratamento deve ser feito em isolamento no hospital. Veja como é feito o tratamento para meningite viral.

Como evitar a transmissão 

Lavar as mãos de forma frequente e sempre depois de trocar a fralda ou as roupas da criança é uma medida simples que pode ajudar a evitar a contaminação dessa doença a outras crianças. Usar uma solução de álcool em gel depois da muda da fralda não é suficiente e não deve substituir o ato de lavar as mãos corretamente. Veja como deve-se lavar as mãos corretamente para evitar o contágio de doenças, nesse vídeo:

Imagem ilustrativa do vídeo: LAVAR AS MÃOS PODE SALVAR A SUA VIDA

Deixe uma resposta

Nome *
Email *
Site