Noma: sintomas, causas e tratamento

0
13


O Noma é uma doença que geralmente se manifesta nos países mais pobres, devido à falta de higiene e má alimentação, e que causa a destruição da boca e do rosto, começando pelo aparecimento de uma pequena ferida no interior da boca, que se vai alastrando para o resto dos tecidos da boca e dos ossos.

Esta doença ainda não tem tratamento, causando a morte em maior parte dos casos, a não ser que seja detetada precocemente e que se consiga travar a infecção com uma boa higiene e administração de antibióticos.

O que é o Noma

Quais os sinais e sintomas

Os primeiros sinais e sintomas que costumam aparecer em pessoas com esta doença é uma pequena ferida no interior da boca, geralmente na gengiva, que vai alastrando, dando origem a uma gengivite ulcerativa necrosante.

O Noma propaga-se muito rapidamente, levando à destruição dos tecidos e ossos da boca e acabando por perfurar os tecidos duros e a pele do rosto, levando geralmente à morte, causada por sepse. Existem várias fases da doença que estão listadas na tabela a seguir:

Fase da doença Sinais e sintomas
Sinal de alerta: Gengivite simples Gengivas vermelhas e inchadas, que sangram ao toque ou durante a escovagem.
Estádio de gengivite necrosante aguda Mau hálito, feridas dolorosas nas gengivas, que sangram espontâneamente, excesso de produção de saliva.
Estádio de edema Inchaço do rosto, dificuldade para comer, mau hálito, alastramento das feridas e da dor para os lábios e bochechas, febre alta, aumento da saliva e anorexia.
Estádio gangrenoso Destruição dos tecidos da boca, presença de uma lesão bem delimitada com o centro negro e destruido, deixando um buraco no rosto, descoloração azulada nas bochechas e lábios, dificuldade para comer, perfuração da bochecha com exposição dos dentes e ossos e anorexia.
Estádio de cicatrização Constrição dos maxilares, perda de dentes com exposição da estrutura óssea, dificuldade para comer e início da cicatrização
Estádio das sequelas Desfiguração, dificuldade para movimentar a boca e para falatr, perda de dentes, dificuldade para comer, corrimento de saliva e deslocação dos dentes.

Possíveis causas

Ainda não se sabe ao certo qual ou quais os microorganismos responsáveis por causar esta doença, mas sabe-se que ela se propaga devido a uma má higiene oral, má nutrição e enfraquecimento do sistema imune, sendo mais comum em crianças entre os 2 e os 6 anos de idade.

Outras causas que podem estar na origem do Noma é a existência de outras doenças como sarampo, paludismo ou infecção por HIV, por exemplo, que tornam as crianças mais suscetíveis à propagação da doença.

O que é o Noma

Como é feito o tratamento

Ainda não existe tratamento para a doença em estado avançado e por isso é muito importante fazer um diagnóstico precoce, mal surjam os primeiros sintomas. 

Assim, ao observar a boca da criança, se ela apresentar gengivas inchadas e vermelhas, com sangramento ao toque ou durante a escovagem, pode ser sinal de inicio de Noma e nestes casos, deve-se reforçar a higiene oral, utilizar água morna salgada previamente fervida ou um elixir antissético, fazer uma alimentação diária com maior quantidade de proteína e fazer suplementação com Vitamina A.

Numa fase de gengivite necrosante aguda, deve-se reforçar o tratamento mencionado com suplementação de nutrientes e antibióticos, como amoxicilina e metronidazol e administrar analgésicos e anti-inflamatórios como a aspirina ou paracetamol.

Caso a criança entre no estádio de edema, gangrenoso, ou de cicatrização, o tratamento deve ser realizado com antibióticos em doses mais altas, como amoxicilina e ácido clavulânico + gentamicina + metronidazol, por via intravenosa lenta ou com ampicilina + gentamicina + metronidazol, por via intravenosa lenta. Também é aconselhado utilizar um elixir de clorexidina 0,2%, 3 vezes ao dia. No estádio gangrenoso pode ainda ser administrada cetamina via intramuscular, para reduzir a dor.

Além disso, se for possível, a criança pode ainda bochechar diariamente com um elixir de clorohexidina, tomar suplementos de ácido fólico, ferro, ácido ascórbico e vitamina B, tratar as doenças pré-existentes, realizar uma nutrição adequada, tratar as lesões com um antiséptico, corrigir a desidratação, realizar uma desparasitação e controlar as hemorragias. Nos últimos estágios, caso a criança sobreviva, é aconselhado realizar fisioterapia para que ela consiga abrir e fechar a boca, extrair os dentes soltos, realizar cirurgias de reconstrução facial e prestar apoio psicológico.

SHARE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here