Paracentese: principais indicações e como é feita


Paracentese é um procedimento médico que consiste na drenagem de líquido de uma cavidade do corpo. Geralmente, ela é realizada quando existe ascite, que é o acúmulo de líquido no abdome, provocada por doenças como cirrose do fígado, câncer, infecções abdominais ou insuficiência do coração, por exemplo. Entenda o que é ascite e as doenças que causam.

Ela é feita com os seguintes objetivos:

  • Paracentese diagnóstica: feita para colher uma pequena quantidade de líquido que será analisado em laboratório para identificar a causa da ascite ou pesquisar alterações como infecções ou células cancerígenas, por exemplo;
  • Paracentese terapêutica: é também chamada de paracentese de alívio, pois retira uma grande quantidade de líquido. Costuma ser indicada quando o tratamento para a ascite não é eficaz, provocando um acúmulo de líquido volumoso e que causa desconforto, podendo, em alguns casos, atrapalhar a respiração. 

A paracentese costuma ser feita em ambiente hospitalar ou ambulatorial, por um médico cínico ou gastroenterologista, e para o procedimento é necessário que o paciente esteja deitado em uma maca, onde é feita a limpeza e uma anestesia no local da punção para, em seguida, ser introduzida uma agulha especial que permitirá a saída do líquido.

Paracentese para alívio da ascite

Paracentese para alívio da ascite

Para que serve

A paracentese costuma ser indicada para a retirada do líquido da cavidade abdominal. Normalmente, o abdome contém apenas um pequena quantidade de líquido livre, no entanto, algumas situações podem provocar o aumento anormal desta quantidade, sendo uma situação chamada de ascite ou, popularmente, barriga d’água. 

A principal causa de ascite é a cirrose do fígado, provocada por diversas situações, como hepatite viral crônica, alcoolismo, doenças auto-imunes ou genéticas, por exemplo. Confira quais são as principais causas de cirrose. 

Outras situações que também podem provocar ascite são tumores ou metástases abdominais, insuficiência cardíaca congestiva, alterações nos rins, ou mesmo infecções abdominais, provocadas por tuberculose, esquistossomose, fungos e bactérias.

Como é feita

A paracentese é realizada pelo médico, e o procedimento envolve os seguintes passos:

  1. O paciente deve estar deitado confortavelmente em uma maca;
  2. É feita a assepsia e antissepsia a região que será puncionada, e o médico deve se paramentar com materiais para evitar a contaminação como luvas, avental, gorro e máscara;
  3. Realização de anestesia local onde será inserida a agulha, geralmente, na região inferior esquerda, entre a região do umbigo e a crista ilíaca, ou conforme guiado pelo exame de ultrassom;
  4. Feita a punção de forma perpendicular à pele, com uma agulha de grosso calibre, específica para o procedimento;
  5. Coletado líquido para a seringa, que poderá ser analisado em laboratório;
  6. Caso seja necessário remover maior quantidade de líquido ascítico, o médico poderá acoplar a agulha em equipo de soro ligado a um frasco que fica localizado em um nível mais baixo que o do paciente, para que o líquido possa ser drenado, fluindo naturalmente.

Além disso, quando a quantidade de líquido drenado é maior que 4 litros, recomenda-se o uso da albumina humana na veia, durante ou logo após o procedimento, na dose de 6 a 10 gramas de albumina por líquido retirado. Este medicamento é importante para que o excesso de líquido retirado não proporcione um desequilíbrio entre o líquido abdominal e o líquido da corrente sanguínea. 

Possíveis complicações

Apesar de, geralmente, a paracentese ser um procedimento seguro, é possível que surjam algumas complicações, como a perfuração de algum órgão do trato digestivo, hemorragia ou infecções do líquido ascítico ou da parede abdominal. 

Deixe uma resposta

Nome *
Email *
Site