Sarampo na Gravidez – Tua Saúde


O sarampo é muito raro na gravidez mas pode acontecer nas mulheres que não foram vacinadas contra o sarampo e tenham estado em contato com pessoas contaminadas com esta doença.

Embora seja raro, o sarampo na gravidez pode gerar complicações graves como parto prematuro e aumento do risco de um aborto espontâneo, sendo importante que o tratamento seja iniciado e acompanhado por um obstetra. Veja quais são as 8 dúvidas mais comuns sobre o sarampo.

A grávida que não tiver tomado a vacina contra o sarampo corre o risco de contaminar-se com a doença e deve evitar ao máximo o contato com pessoas que venham de outros países, pois nem todos os países fazem campanhas de vacinação em massa e uma pessoa pode estar contaminada e ainda não ter desenvolvido os sintomas característicos da doença e assim contaminar a gestante.

Sarampo na Gravidez

Tratamento para sarampo na gravidez

O tratamento para o sarampo durante a gravidez deve ser feito sob orientação do obstetra e tem como objetivo controlar os sintomas. Caso haja febre, o médico pode indicar o uso de Paracetamol, no entanto, é importante que a mulher busque outras alterativas de tratamento.

Para diminuir a febre sem remédios recomenda-se banhos de água fria e evitar ficar em locais muito quentes. Além disso, compressas de água fria colocadas na testa de tempos em tempos também ajudam a baixar a febre.

Pode ser recomendado também a aplicação de um soro que contém anticorpos específicos contra os antígenos dos vírus, o que promove o combate da doença, diminuição dos sintomas e não representa riscos para a mulher ou para o bebê.

Pode tomar a vacina na gravidez? 

A vacinação durante a gravidez não é recomendada, já que a vacina é confeccionada com o vírus que transmite o sarampo com atividade diminuída, o que pode levar ao surgimento de sintomas do sarampo. Assim, caso ocorra a vacinação durante a gestação, podem haver graves complicações, já que o sistema imunológico da mulher fica comprometido. Além disso, casos de má-formação devido a contaminação da gestante não foram diagnosticados, ou seja, o bebê não corre risco de nascer com sarampo caso a mãe tenha ficado doente.

Caso a mulher esteja tentando engravidar e não tenha sido vacinada durante a infância, é recomendado que a vacina seja tomada imediatamente e só após 1 a 3 meses da aplicação da vacina inicie as tentativas para engravidar. A mulher pode tomar a vacina específica contra o sarampo ou a tríplice viral, que também garante proteção contra a rubéola e a caxumba, sendo mais recomendada. Saiba mais sobre a vacina tríplice viral.

Deixe uma resposta

Nome *
Email *
Site