Tratamento para o refluxo gastroesofágico


Uma das formas de tratar o refluxo gastroesofágico é diminuir a acidez do conteúdo do estômago, para que este não agrida o esôfago. Assim, se o refluxo for menos ácido vai queimar menos e causar menos sintomas. 

Os medicamentos que podem ser usados são os antiácidos, inibidores da produção de ácido, protetores do estômago e aceleradores do esvaziamento gástrico.

Remédios para refluxo gastroesofágico

1. Antiácidos

Os antiácidos mais usados para neutralizar o ácido clorídrico do estômago são o hidróxido de alumínio, hidróxido de magnésio e bicarbonato de sódio. Estes remédios são bases que reagem com os ácidos, reduzindo o seu potencial tóxico e dando origem a água e sal.

Os antiácidos não são usados com tanta frequência porque não são tão eficientes e porque existe a possibilidade de um efeito rebote, ou seja, a pessoa melhora no imediato mas depois pode haver uma piora. 

Os efeitos colaterais mais comuns destes medicamentos são prisão de ventre, que são provocados pelos sais de alumínio, ou diarreia que é provocada pelos antiácidos que contêm magnésio, já que provocam um efeito osmótico no intestino. Para minimizar estes efeitos colaterais, os antiácidos mais utilizados são associações de hidróxido de magnésio e de alumínio.

2. Inibidores da produção de ácido

Os inibidores da produção de ácido são os remédios mais usados no tratamento do refluxo gastroesofágico, podendo inibir essa produção de duas formas:

Inibidores da bomba de prótons

Estes são os principais remédios utilizados no tratamento das doenças relacionadas ao aumento da secreção ácida gástrica. Os mais usados são o omeprazol, pantoprazol, esomeprazol e rabeprazol, que interferem na bomba de protóns, inibindo a produção de ácido clorídrico no estômago. 

Os efeitos adversos mais comuns que podem ocorrer com o uso destes medicamentos são dor de cabeça, diarreia, erupções cutâneas, dor abdominal, flatulência, náuseas e prisão de ventre.

Antagonistas dos recetores H2 da histamina

Estes medicamentos inibem a secreção ácida induzida pela histamina e gastrina e os mais usados são a cimetidina, ranitidina, nizatidina e famotidina.

Os efeitos adversos mais comuns provocados pelo uso destes medicamentos são diarreia, dor de cabeça, sonolência, cansaço, dor muscular e prisão de ventre

Remédios para refluxo gastroesofágico

3. Aceleradores do esvaziamento gástrico

Quando o estômago está muito cheio, existem mais chances de ocorrer refluxo gastroesofágico. Então, para evitar isso, pode-se estimular a motilidade gastrointestinal com remédios procinéticos como a metoclopramida, domperidona ou cisaprida que ajudam no esvaziamento gástrico, diminuindo assim o tempo de permanência dos alimentos no estômago, evitando o refluxo.

Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer com o uso da metoclopramida são sonolência, sensação de fraqueza, agitação, diminuição da pressão arterial e diarreia. Além disso, embora raramente, podem ocorrer distúrbios gastrointestinais com o uso de domperidona e cisaprida.

4. Protetores gástricos

Também podem ser utilizados protetores gástricos para tratar o refluxo gastroesofágico, que protegem o esôfago, evitando a queimação quando o conteúdo que está no estômago passa para o esôfago.

Geralmente, o organismo tem um mecanismo em que produz um muco que protege a mucosa do estômago, impedindo que o ácido o agrida, mas em alguns estados patológicos e com o uso de alguns medicamentos, a produção desse muco pode diminuir e proporcionar a agressão da mucosa. Os protetores gástricos que podem ser usados para substituir este muco são o sucralfato e os sais de bismuto que potencializam os mecanismos de defesa do estômago e formam uma barreira protetora no estômago e no esôfago.

Os efeitos adversos mais comuns provocados pelos sais de bismuto são o escurecimento das fezes, tonturas, dor de cabeça, náuseas, vômitos, diarreia e distúrbios psicóticos. 

O sucralfato é geralmente bem tolerado e o seu principal efeito adverso é a prisão de ventre. No entanto, também pode provocar boca seca, náuseas, vômitos, dor de cabeça e erupções cutâneas.

Existem também remédios caseiros que podem contribuir para o sucesso do tratamento. Saiba quais os mais usados.

Deixe uma resposta

Nome *
Email *
Site